Jungle Juice é uma marca de poppers, nome vulgar do químico da família dos nitratos alquímicos, que foi criado como medicamento em 1844, e era acondicionado em pequenas ampolas, que ao serem quebradas faziam o ruído “pop”, origem de seu apelido.
Durante a guerra do Vietnam foi entregue as tropas norte americanas como um dos arsenais químicos para o alívio dos soldados. Nos anos 70, depois de uma modificação na sua fórmula, se transforma em droga recreativa da liberação homossexual devido seus efeitos relaxantes e eufóricos.

Em sua recente série de pinturas, André Niemeyer faz uma reflexão sobre a militância Lgbt+, usando a sátira e o kitsch em suas telas, que hora se apropriam da linguagem da propaganda (ou se assemelham a uma foto de grupo em baile de carnaval ou de coletivos queer) e em outras usa a camuflagem como metáfora a indivíduos que tentam, por necessidade, passar despercebidos pela sociedade. 
Em outro trabalho, composto por 50 retratos, faz a “persona”, teoria de C.G. Jung, na qual criamos nossas máscaras para o mundo e ao mesmo tempo dissimulamos nossa verdadeira natureza.